quarta-feira, 9 de maio de 2012

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: será que o aprendizado é garantido?

Cada vez mais temos visto o crescimento das instituições públicas ou privadas que estão incorporando em seu “cardápio” cursos que são oferecidos na modalidade à distância, inclusive aqueles que, tradicionalmente, eram oferecidos apenas na modalidade presencial.

Os números denunciam o crescimento da educação oferecida a distância em todas as regiões brasileiras, pois os limites deixaram de ser o problema do acesso à educação. Qualquer aluno que esteja em uma região coberta por satélite ou internet poderá ter acesso ao ensino e abrir as portas de novos horizontes que ele traz ao ser humano.

Se falarmos em números, estatísticas e quantidades de novas turmas abertas para cursos a distância tudo funciona bem. Alunos lotam os encontros presenciais, se interagem nos acessos à plataforma online, participam dos debates propostos, vêem vídeos, compartilham experiências pelos fóruns, nas leituras propostas que geram discussão, etc. Mas lembrando: TUDO À DISTÂNCIA!

Há ainda quem prefira o ensino presencial. Defensores da boa prática pedagógica entre professor e aluno na sala de aula dizem que “dificilmente o contato professor-aluno será substituído, em sua essência, pela internet ou modalidades a distância”. 

Se presencial ou a distância, o fato é que as possibilidades de ensino e acesso ao conhecimento estão se revolucionando. Novas mídias, novas tecnologias e novos processos de ensino-aprendizagem. É sabido que essa evolução é positiva em vários aspectos.

Mas o ensino e a aprendizagem são satisfatórios quando nos referimos à modalidade de ENSINO A DISTÂNCIA?

Será que os estudantes que fazem ensino a distância terminam o curso com o mesmo nível de aprendizagem dos que cursam na modalidade presencial?

25 comentários:

  1. Caro Pugim, a Educação à Distância não é a mesma que a presencial. Há diferença de presencial e presencial (refiro-me às faculdades particulares (algumas delas) e às Estaduais e Federais), quanto mais àquelas que são a distância! --- Embora, estas são a solução para algumas pessoas que não dispõe de tempo.Melhor a distância do que nenhuma!! E estou precisando de uma destas para ampliar minha bagagem...rsrs (só falta de tempo mesmo para presencial)

    ResponderExcluir
  2. Bom penso que a utilização de recursos tecnológicos na Educação é algo válido, uma vez que a tecnologia venha colaborar com o aprendizado de forma ampla, estando o aluno fazendo uso direto ou mesmo indireto dessas ferramentas, no caso de aulas interativas com projetores e até mesmo os alunos nos computadores conectados a rede possibilitando-os conhecer o mundo em um clique.
    A utilização da tecnologia no processo de aprendizagem colabora e muito com essa "ordem mundial" onde um profissional tem que, no mínimo conhecer os recursos básicos da grande rede como por exemplo enviar um e-mail,realizar pesquisas de mercado,interagir com pessoas do seu convio diário, estabelecer NetWork etc. E olhando para o sistema de educação lá atrás que são: os alunos, o professor, giz e lousa, método falho e ultrapassado que ainda existe nos tempos atuais, tudo isso abre uma nova visão de possibilidades o que permite que os aluno transformem suas vidas em processos permanentes de aprendizagem. Penso que o Brasil tem muito que evoluir no aspecto "Inclusão Digital", pois nem todas as pessoas possuem acesso a grande rede que é o caso de algumas regiões mais pobres como o nordeste.Creio que os estudantes do EAD terminam o curso até melhores preparados, pois estão no conforto da sua casa ou mesmo dentro de um barco na costa brasileira, diferente do curso presencial onde muitas vezes o aluno vai estudar praticamente "morto",sem mencionar os barzinhos da sexta a noite os amigos e influências, o ead pode-se dizer que são cursos para alunos mais estabilizados financeiramente.Ambos os curso precisam melhorar, mesmo não havendo discriminação nos diplomas de cursos presenciais e do EAD.

    ResponderExcluir
  3. Pugim, tenho a seguinte opnião a respeito.
    O ensino a distancia e essencial para quem tem Base no assunto e ja tenha feito cursos na area, em contrapartida não acho interessante para aqueles que são leigos no assunto, pois é mania do Brasileiro deixar tudo pra depois, sendo assim você perde muito tempo e não aprende nada ou seja não aproveita. Se a educação no Brasil zela-se por não deixar pra depois seria uma boa. Mas tambem Não se tem comparação em ter um educador em sua frente disponivel, e outro que você so vai ver algumas vezes durante o curso. Eu não me interesso pelo E.A.D.
    Ass: Jáder de Souza Ruivo.

    ResponderExcluir
  4. Já Penso diferente. O E.A.D vem cada ano que passa inovando com as suas aulas online em tempo real. Acho que exige bem mais dos alunos que querem realmente aprender, pois se você não pesquisar, correr atras, ir nos plantões de duvidas realmente fica dificl, não só para E.A.D como também para presencial. É uma boa, façam e comparem.

    ResponderExcluir
  5. Com certeza a educação a distância não é a mesma, claro que temos exceções, pois existem pessoas que não tem oportunidade, e necessitam do curso a distância, daí elas acabam se dedicando. Só que no geral, acho que fica mais fazer por fazer. Nada como assistir aula pessoalmente, esclarecer as dúvidas... isso torna um profissional de qualidade. Não quero menosprezar quem faz ou fez a distância, mas a realidade é bem diferente.

    ResponderExcluir
  6. Penso que a aprendizagem não seja a mesma, pois acredito que o contato professor-aluno, é indipensável. Quando se trata de uma pessoa que ja tem conhecimentos nesta area e realmente se dedica à aprender, seguindo rigorosamente todos os passos necessários, pode ser que o resultado seja o mesmo de um aluno que faz o curso presencial, mas quando falamos de alguem que não tem o minino conhecimento em nada sobre a area e nao se esforça o bastante, os resultados com certeza serão instaisfatórios.

    ResponderExcluir
  7. O ensino a distancia vai de aluno para aluno, assim como nas aulas presenciais, se tiverem força de vontade conseguem sim, e podem ser profissionais capacitados, como se tivessem participados das aulas presenciais. Quando as pessoas querem e vao atras dos seus sonhos, nao a distancia que separe. Eu fiz o curso e achei muito bom.
    Jessica ;)

    ResponderExcluir
  8. Bom estou cursando gestão de recursos Humanos a distância, no meu caso preferi este método por falta de tempo pois saiu tarde do serviço, o modo a distância exige mto do Aluno pois os mesmo tem que estudar e se esforçar mto em casa porque as aulas são 1 vez por semana no polo, Por enquanto ainda não tenho nada a reclamar. Só 1 pequena observação: o modo a distância poderia ser com pelo menos 3 vezes na semana seria bem melhor! 1 Abraço a todos...

    ResponderExcluir
  9. Grande Celo,

    Prazer opinar mais uma vez nesse espaço enriquecedor!

    Referente à "ED" procuro analisar, com cautela. Essa nova modalidade que vem crescendo muito, principalmente no ENSINO SUPERIOR brasileiro, a meu ver apresenta aspectos positivos e negativos. O grande questionamento é a qualidade desses cursos. Como disse, é algo novo e o novo gera "desconfiança" principalmente porque temos enraizado o modelo tradicional de ensino nos centros de educação.

    Não estou defendendo esse modelo e também quero aqui descarta-lo. Vejo nele, pontos positivos, como um meio de inclusão em determinados contextos.

    Assim como todos os modelos pedagógicos de ensino que apresentam falhas e problemas, a “ED” não é diferente. Não podemos também negar que esta é uma realidade, num contexto onde as mídias e os espaços virtuais se configuram como um meio crescente. Cabe a nós, entender essa realidade e aplicá-la de forma consciente.

    No mais, para uma analise mais profunda da temática, é necessário o investimento teórico e histórico. Uma simples opnião (a favor ou contra) é algo simplório, já que a temática é complexa. Nesse sentido, temos um campo amplo de pesquisa.
    Um abraço,

    Jefferson Oliveira
    Aluno do Curso de Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais

    ResponderExcluir
  10. Já havia pesquisado bastante a respeito desse tema e cheguei a conclusão de que o perfil do aluno é o ponto principal para se saber que modalidade de ensino melhor se adapta a sua rotina. Para que o aluno obtenha um êxito maior em um curso a distância é preciso se encaixar a um determinado perfil: ser responsável, ter maturidade suficiente para organizar seus horários de estudo e ser disciplinado.
    Se o aluno não corresponde a esse determinado perfil ele poderá se frustrar em relação ao curso e não obterá o êxito esperado.

    ResponderExcluir
  11. Estar dentro de uma sala de aula já é meio dificil. Pois ao termino do curso ainda sairá com duvidas, mesmo tendo um professor dentro da sala, agora imagine não tendo.. terminará o curso com duvidas, então a distância é complicado.

    Bjão Biiiiih

    ResponderExcluir
  12. Oi Marcelo,
    Concordo com o comentário da Angélica: " o aluno tem de ser responsável, ter maturidade suficiente para organizar seus horários de estudo e ser disciplinado. Caso contrário,
    ele poderá se frustrar em relação ao curso e não obterá o êxito esperado" É a pura verdade!
    Vejo que na sala de aula, por mais que o professor seja dinâmico e a escola ofereça variadas ferramentas de trabalho, existe uma maioria desinteressada, descomprometida. Imagine essa gente fazendo curso à distância...vai se frustrar.....não pelo curso, mas pela falta de comprometimento.
    Abraços.
    Maria Angélica

    ResponderExcluir
  13. eu resumo que depende do aluno,o ensino a distancia, fa com que o aluno aprenda e estudar de forma difereten buscando o autoaprendiagem, o presencial, o aluno tem a habce de demostrar suas qualidades em grupos como trabalhos academicos. então o jeito que o aluno estuda vai dizer se a distancia foi melhor que presencial do final de tudo.

    ResponderExcluir
  14. Acredito que sim,porque acaba sendo mais esforçado, tem a matéria mais exige muitas pesquisas.
    Coisa que é mais raro os que estão presentes nas salas de aulas fazerem.

    ResponderExcluir
  15. Caro Marcelo e demais participantes,

    Acredito que a modalidade a distância vai desenvolvendo cada vez mais:
    - pelas opções – a instituição quer usufruir as opções a distância, para facilitar para o aluno que tem dificuldades de locomoção e/ou tempo, principalmente temas mais teóricos, que requer leitura e discussão;
    - pelas opções de ferramentas, as TICs vão desenvolvendo crescentemente e muito úteis (se bem utilizadas) no processo de ensino e de aprendizagem a distância.
    A respeito da aprendizagem, segundo o Profº João Vianney – autor do livro “A Universidade Virtual no Brasil”, os resultados apontam melhor produtividade, o aluno desenvolve mais competências do que no presencial, porque para fazer o curso precisar Ler, interpretar, escrever ... o tempo todo, para conseguir fazer o curso a distância. Como li em outros posts, esta modalidade é para o aluno que tem perfil adequado, precisar de mais responsabilidade, autonomia, concentração, organização, etc. Eu particularmente acho importante ter uma parte presencial, sela um vinculo importante que ajuda muito no virtual. Ah! O curso precisa de bons tutores (persuasivos), para manter a “chama” da interação acesa.

    Grande Abraço
    Profª Maria José
    Centro Paula Souza

    ResponderExcluir
  16. Olá Marcelo, acredito que a educação sendo "bem feita" ou seja, com qualidade, é válida. Temos situações na escola tradicional presencial em que nenhuma das pessoas envolvidas (professor-aluno) está querendo promover a aprendizagem,isto também serve para o ensino à distância.
    Por tanto, o que importa, é a vontade de todos os envolvidos em aprender: o professor de buscar novas formas de mediar e o aluno querer
    conhecer. Para mim, como educadora, é impressindível, no processo de conhecer e não só de se informar (como hoje acontecer).
    Parabéns pela iniciativa. Tenho muito orgulho de participar de uma equipe tão rica como a nossa Etec.
    Abraços
    Profa. Eliana
    Etec Alcídio - Orlândia

    ResponderExcluir
  17. sinceramente...minha experiencia com a educaçao a distancia nao foi muito boa, fiz uma cadeira da faculdade a distancia e nao aprendi muita coisa, era tudo muito solto, é uma ideia boa mas tem q se pensar em outras estrategias para envolver mais os alunos nas aulas.

    ResponderExcluir
  18. Caro Pugin
    Acho essa discussão muito pertinente para este momento.

    Muitas opiniões contribuíram de forma madura para com o tema. Parabéns.
    Trabalho com EAD (nas modalidades satalital, streaming e e-learning) há muito. E tenho vasta experiência tanto em treinamentos, tv corportativa e com Instituições de Ensino Superior.
    A discussão toda entra em voga por causa da qualidade com que se produz o EAD. (como disse a prof. Eliana)

    Como o campo do e-learning ainda é o modelo que a maioria conhece, parece que tudo o que é EAD é e-learning. Mas há um abismo de diferença entre ela e outras modalidades. Por exemplo a satelital (sempre apoiada pela internet com os L.M.S's da vida - Moodle por exemplo).
    Dirijo uma empresa (Enad) que há 8 anos se preocupa com a qualidade em se fazer EAD.
    E nossa experiência nos mais variados campos e áreas nos mostra que uma aula telepresencial (por exemplo) é incomparavelmente mais rica que uma aula presencial.

    Colocamos tantos recursos pedagógicos para o professor apoiar seu conteúdo que fica impossível o professor reproduzir uma aula feito a distância na sua sala presencial.
    Temos preocupação com o meio. Produzimos o conteúdo sempre centrado na figura do professor (que é insubstituível em qualquer modalidade).

    Preparamos o docente para os recursos que irá usar. E produzimos um conteúdo de maneira a inserir o aluno no ambiente propício para aquele momento. Já imaginou o professor poder mostrar o chão de fábrica no curso técnico? Ou o laboratório? ou os ambientes mais remotos possíveis? Já imaginou o professor entrar dentro das experiências? O professor entrar num átomo e se desviar dos elétrons? Já imaginou o professor pegar uma hemácia fauciforme? ou um átomo radioativo?

    É disto que falo. É isto que fazemos.
    O aluno passa a ter experiencias a distancia que não teria presencialmente.
    Entao porque acredito no EAD?

    Oras, primeiro porque coloca o melhor profissional para falar com todos, segundo que dispomos de recursos multimidiáticos que tornam o conteúdo rico e absulutamente agradável.

    Grande abraço a todos, em especial Profª Maria José do Centro Paula Souza.

    Adriano Portugal de Vasconcelos
    Diretor de Operações da Enad
    adriano.portugal@enadbr.com.br

    ResponderExcluir
  19. Olá, Marcelo! É com prazer que estou participando deste fórum em seu blog. A proposta de discussão está muito oportuna para este tempo. A minha opinião é que o EAD é uma ferramenta já praticamente imprescindível para a Educação deste novo século. A questão da qualidade vai depender em muito do compromisso do aluno. Terminei o curso de Letras em 2010 e foram três anos de uma incansável busca por novos conhecimentos. Muitos e muitos domingos, feriados e finais de semana prolongados foram dedicados à realização de trabalhos, pesquisas, participação nos fóruns, portifólios, etc. Pelo fato de eu gostar muito de ler, escrever e estudar, considerei que o curso (mesmo à distância) enriqueceu muito minha bagagem intelectual. Foi uma verdadeira festa de novos aprendizados.

    Paralelamente à ação do aluno, a Educação à Distância também precisa estar amparada por um programa midiático de qualidade, além de um corpo docente preparado para lidar pedagogicamente com este novo tipo de aluno e formato de curso. É realmente uma revolução no sistema de ensino. Certamente ainda vai gerar muita discussão até se tornar algo comum para a comunidade estudantil, assim como para a sociedade em geral.

    Continuo firme na minha opinião de que o formato EAD veio para ficar e acrescento que o considero uma ferramenta com alto poder de inclusão social. Cabe a cada ator dentro do processo fazer o melhor possível para que os resultados sejam cada vez melhores para todos.

    Mary Barbeti
    www.faroldoreino.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. OI Pujha! penso que o melhor mesmo é frequentar uma boa escola e que o governo deve investir muito no ensino presencial, pois na minha opinião, estudar, aprender e adquirir novos conhecimentos significa também aprender a conviver em sociedade, conhecer pessoas e respeitar as diferençaas.
    MEIRE 1°M

    ResponderExcluir
  21. Marcelo, demorei mas aqui estou para dar a minha opinião. Todo mundo já disse um pouco e em cada opinião tem pontos de vista de se concordar, sempre há dois lados.
    Quem tem tempo pode frequentar um curso presencial, mas para quem não tem e dispõe de força de vontade, o curso à distância torna-se uma ótima opção para se qualificar. Sem dedicação o curso á distância é apenas um meio mais fácil de ter uma formação e isso infelizmente irá refletir na sua atuação no mercado de trabalho.

    ResponderExcluir
  22. Olá, Marcelo, ensino à distância pode ser um complemento, apenas. O ensino precisa de método, de professor, de compromisso de aluno com escola e vice-versa. Precisa de regras para um bom funcionamento do que quer o aluno receber e do que o professor ache que precisa passar a este. Não acredito que funcione. Ensinar é algo pessoal, alunos de todos os tipos precisam ser avaliados e ajudados; cada caso é um caso, e só uma sala de aula, só um professor está capacitado para isso. Nem todas as explicações servem para todos os alunos.

    Abraços
    Tais Luso

    ResponderExcluir
  23. Marília de Dirceu30 de março de 2011 16:23

    Grande Marcelo,
    Obrigada por me convidar para fazer deste forum. Acredito que o EAD hoje seja uma das maneiras de se manter um processo de aprendizagem mais sustentável. Quando se fala em poluir menos, desperdiçar menos, creio que também estamos levando em conta que o EAD ajuda a se comprometer com atitudes mais ecologicamente corretas. Se vc pode estudar em casa ou no escritório, sem ter que viajar "n" horas, gastando combustível, consumindo mais do que deveria em casa, desperdiçando o pouco tempo que tem para a família, então este método é mais que condizente com os dias atuais. No entanto, é preciso evoluir para um patamar de responsabilidade que talves só as pessoas mais maduras tenham. Não adianta colocar um adolescente (quero dizer com idade de adolescente) para fazer uma faculdade através de EAD, quando para ele o maravihoso seria desfrutar da convivência, da bagunça e do aprendizado numa faculdade presencial. Seria um desperdício total.
    Outro fator importante, que eu vejo, é o problema da avaliação dos alunos. Será que a metodologia de aplicar testes seria suficiente para avaliar um aluno que fez EAD? Será que estes cursos de EAD não deveriam ser mais rígidos com esta questão, fazendo valer as participações em forum e debates sobre as aulas (através de vídeo conferências) para poder sentir mais a capacidade de seus participantes? De qualquer forma existem os bons e os maus alunos, os que precisam e os que não precisam estudar. Os que gostam e que querem ir adiante e os que fazem cursos só para ter seu certificado. A preocupação estará sempre na formação do profissional e na sua escolha. Para estar entre os escolhidos ele terá que ser bom, e para ser bom terá que aprender a ser, não importa que meios utilizará. O fato é que a vida profissional cobrará e então tanto faz se o curso foi presencial ou à distância. Importa, mesmo, é no que vc se tornou.
    Abraços
    Marília

    ResponderExcluir
  24. Oi Marcelo!!! Sobre o tema minha opinião é a seguinte: O aprendizado a distância ou presencial vai depender da dedicação e empenho do aluno e do método de aprendizagem (nível) da Faculdade/Universidade. Minha irmã graduou-se em 2 especialidades. Letras (faculdade presencial) e Pedagogia (EAD). Em relação a Letras (Faculdade de minha cidade), o curso à distância não sofreu alterações. Agora, comparando a Pedagogia (EAD)com outra Faculdade (presencial)da Região tem bastante diferença (o nível da EAD é bem menor). Um grande e forte abraço.

    ResponderExcluir
  25. Grande Marcelo. Sem duvida. O EAD facilita sim, mas não é um milagre. Todos temos de ter nossa parcela de contribuição, bons cursos e também bons alunos. É a mesma situação de se achar que múltipla escolha é mais fácil. O formato, quando bem planejado, acaba sendo a resposta para tudo.

    ResponderExcluir

COMPARTILHE SEU PONTO DE VISTA!