sexta-feira, 1 de junho de 2012

EVASÃO: Alunos DESINTERESSADOS ou Ensino DESINTERESSANTE?

      A discussão está em alta: EVASÃO ESCOLAR. Já são rotineiras as discussões em reuniões escolares sobre os índices de evasão por parte dos alunos. Matriculam-se ou prestam provas para ingressar nas unidades de ensino, começam a frequentar por determinado período e logo se evadem.
       Hoje, os levantamentos e pesquisas apontam que a evasão, nos últimos 10 anos, tomou proporções nacionais e sem rotulação de tipos de ensino. Em outras palavras, a evasão acontece tanto no ensino público – em maior proporção – como no particular, tanto nos ensinos médio e técnico como também em universidades e faculdades, o que torna mais complicado o mapeamento das causas da evasão.
As possíveis causas levantadas para a evasão são as mais diversas e inacreditáveis possíveis, porém nenhuma delas é suficiente o bastante para tomarmos ações para conter esse índice, pois combater a evasão ainda é um desafio.
            Os malefícios advindos da evasão são sentidos pelas escolas, pelos professores em sala de aula, para os próprios alunos que acabam desperdiçando tempo e perdendo oportunidades etc., mas a perda mais visível e dolorosa é a perda social que o país tem ao conviver com altos índices de evasão.

Eu pergunto a você: o que está acontecendo com o ensino?
O que os alunos, os professores, a sociedade têm a dizer sobre isso?

ALUNOS DESINTERESSADOS ou ENSINO DESINTERESSANTE?


    

20 comentários:

  1. Hoje possuímos inúmeros recursos que nos auxiliam a poder ministrar aulas dinâmicas, arrojadas. Temos que motivar o aluno a estudar e contar com o apoio das empresas para valorizar estes profissionais que possuem um curso técnico. Querendo ou não este é o diferencial. Deixou esta reflexão:

    O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.

    Mário Quintana

    Acho que é isto temos que fazer o aluno ter motivo para vir até a escola e o mais importante mante-lo nela.

    ResponderExcluir
  2. A falta de interesse pela escola é o principal motivo que leva o aluno brasileiro a evadir. Falta ao mesmo entender que a Educação é um investimento necessário, pois conseguir o diploma do Ensino Médio é essencial para entrar na vida adulta e no mercado de trabalho.
    No meu ver, este problema precisa ser atacado em três níveis: criar as condições mínimas para que esse jovem freqüente a escola; melhorar a qualidade da escola; e fazer um trabalho para que esse jovem readquira a sua capacidade de sonhar com um futuro.

    ResponderExcluir
  3. Ensino desinteressante.
    O mestre vem primeiro que o discípulo.
    Os professores precisam ser renovados, precisam tem espírito de patriotismo. Só assim a futura geração poderá realmente utilizar todas essas tecnologias com inteligência. Não basta ter o "mundo" num clic, quando não se sabe como utilizar.

    ResponderExcluir
  4. Gente eu vi uma coisa hoje que me comprovou que o aluno tem interesse sim. Ele faz matrícula e inicia o curso, porém quando a novela se torna mais interessante do que a aula ele fica em casa mesmo. Hoje pediram pra que eu aplicasse uma aula preparada por outro professor, pois ele vai faltar. Eu me recusei, pois era pra eu escrever um texto enorme e copiar coisas da lousa para o caderno não é aprender. A Norma da novela ensina muito mais do que o simples ato de copiar o que o professor escreveu. Essa habilidade o aluno desenvolveu lá no início da escola, quando a tia Camila segurava sua mãozinha e pedia para seguir a linha do caderno até à margem final da página.

    ResponderExcluir
  5. A primeira pergunta que everia ser feita ao aluno é: Porque você esta aqui, o que você quer? Ai poderia se pensar em desenvolver objetivos para se trabalhar com esses alunos, em grande parte eles não levam os cursos a sério poís eles pensam que se não "gostarem" tudo bem começam outro, o jovem não pensa na vida profissional pois a estrutura familiar não o educou para isso, ou seja não adianta a escola ser o lugar mais interessante do mundo, com os melhores professores, mas na concepção deles não ser um lugar "BADALADO", o que falta é uma visão de futuro para esses jovens, e uma visão de bons profissionais que eles poderão vir a ser, falta DEDICAÇÃO E EMPENHO.
    L.G.PARADA

    ResponderExcluir
  6. Nos 13 anos que vivi no Japão vi ao ir para o trabalho fila de crianças bem novinhas de mãos dada de 2 em 2 com seu uniformes paletozinho, shortinho (mesmo nevando) com um chapel de pano amarelo, em cada esquina uma mãe controlando e observando todo o movimento. Parecia uma grande sentopéia. No Brasil temos ótimos curso técnicos e GRATUITOS, próximas escolas publicas. Sim educação vem e começa no berço desde bem pequeninos aprendendo a viver em sociedade e suas regras. Para finalizar não é a escola que faz o aluno e sim o aluno que faz a escola...

    ResponderExcluir
  7. O desinteresse por parte do aluno existe, sim. Mas consideremos o contexto em que vivemos: uma sociedade com mercado de trabalho concorrido (na qual, obviamente o estudo é peça fundamental), cheio de pressões, a era dos tablets e touchscreen, video games realistas mundialmente conectados pela internet, busca por sustentabilidade, enfim... Todas essas coisas de um lado e do outro a escola com seu caderno, lápis, lousa, giz. Não que este modelo seja ruim, afinal ele já vem dando certo há muito tempo. A questão é que o perfil das pessoas mudou, afinal os próprios fatores, como a tecnologia, forçam essa mudança. Se as pessoas não são mais as mesmas, suas ferramentas de trabalho e lazer não são mais as mesmas, logicamente, seus meios de aprendizagem (tanto para adquirir quanto para transmitir)também não devem mais ficar presos aos modelos de antes, pois, eles não condizem com o ambiente no qual estamos inseridos. Acredito que inovação nas escolas e faculdades, seria um bom começo pra evitar evasão. Criatividade é a ordem do século XXI!

    ResponderExcluir
  8. Maria Teresa- Diretora da Etec Alcídio12 de agosto de 2011 18:35

    Parabéns pela iniciativa, e o nome é muito sugestivo, pois demonstra um paradoxo: alunos desinteressados ou ensino desinteressante? se os alunos não se interessam, qualquer ensino é desinteressante, e vice-versa. Acho que nunca existiram tantas facilidades para se estudar, há transporte gratuito, merenda escolar, livros do governo federal, e as escolas estão esvaziando...para onde estão indo os jovens?
    O problema é complexo e perpassa pelo imediatismo e falta de visão de futuro, disparidade de atualização da escola perante as TIs, outros ambientes sociais mais atraentes....
    E por mais que a escola se esforce, tentando diminuir sua defasagem, ainda ensinamos para um mundo que ficou no passado.
    Talvez uma maior aproximação do mercado de trabalho e escola pudesse ser um bom começo, uma vez que os jovens, com sua visão imediatista, não vêem melhorias salariais a curto prazo (pelo menos no nosso universo de ensino técnico de nível médio), e muito menos o que foi constatado em pesquisas, de que uma melhor educação está diretamente relacionada a uma melhor qualidade de vida.

    ResponderExcluir
  9. A falta de interesse dos alunos pela escola é visível, mas o que faz ocorrer isso muitas vezes é a própria escola onde não tem recursos ou capacidade para manter o aluno motivado pra continuar estudando. Falta algo a mais pra deixar as aulas mais interessantes e prender a atenção do aluno, ou seja, na minha opinião é preciso inovar na maneira de se dar aula.

    ResponderExcluir
  10. Alunos desinteressados vai sempre existir , talvez ele esteje frequentando por saber que é uma necessidade profissional , e frequenta por frequentar . Mas cabe aos educadores motivá los, mostrar para o aluno que ele não tem que fazer o que gosta , e sim gostar do que faz . Sem dúvida nenhuma a escola tem que interagir com aluno e vice -versa , porque um depende do outro .

    ResponderExcluir
  11. Ensino médio, de uma forma ou de outra, a grande maioria faz, seja por gostar, obrigação, necessidade... mas todos acabam se formando, por ser a base de qualquer coisa hoje.
    No curso técnico, talvez haja uma evasão muito maior, por ser opcional, grande parte das pessoas fazem vestibulinho na intenção de conhecer o curso, e sempre o primeiro módulo é muito tediante, isso desanima as pessoas. Acho que, se a escola pensasse nisso, em tornar o começo prazeroso, mas claro, sem baixar a qualidade, o número de evasão seria menor, pois as pessoas se sentiriam incentivadas, com vontade de voltar no outro dia. É um grande desafio, já que, são poucos os dias letivos para realização de tanta coisa, mas só de reformular um pouco a maneira das aulas, isso ja animaria muita gente que desiste no primeiro mês...

    ResponderExcluir
  12. Essa história de aluno desestimulado muitas vezes é "balela", na minha sala (curso de contabilidade) ha uma aluna de 24 anos que trabalha na empresa Seara, acorda as três da madrugada volta as duas da tarde, ajuda sua mãe na organização da casa e ainda tem DISPOSIÇÃO para ir a escola, o mais impressionante é que ela está GRÁVIDA, gestante de oito meses vai e volta caminhando da sua casa até a escola todos os dias, e vocês acham q ela vai abandonar o curso? Não, quando ela estiver afastada a direção lhe enviará todos os materiais. Isso se chama FORÇA DE VONTADE.

    ResponderExcluir
  13. Ensino Desinteressante!
    Os professores são otimos, mais falta dinamica, é mta teoria e pouca pratica.
    Isso desanima os estudante, é desgastante!
    Tomara que isso melhore. Pra ninguem mais desiti de estudar!

    Vanessa Rodrigues 2º de Marketing

    ResponderExcluir
  14. Ambos, poiis O Ensino esta Desinteressante, com muita teoria que acaba criando uma mesmisse, onde o aluno desanima e acaba desistindo dos estudos, mais claro que tambem temos alunos que não querem nada, mesmo com aulas mais praticas e interessantes,que são os alunos desinteressados.

    ResponderExcluir
  15. Caro Marcelo acredito que não existe só um problema na educação, dá mesma forma que não podemos dar uma resposta somente, a educação no Brasil começou a ser pensada recentemente.Creio que o jogo de interesses é maior que tudo isso, podemos estar em um processo de formação de professores muito fraca, as universidades estão mais preocupadas em vender os cursos, os alunos também grande parte deles estão dentro de uma sala de aula numa Dispersão sem fim.
    Cairemos sempre na mesma questão os Professores ganham pouco, por sua vez trabalham desmotivados, eu tive um relato semana passada desse fato um professor de Português aliais competentíssimo, comparou seu salário com um salário de um Torneiro Mecânico ai você contrata um Eletricista, que em 50 minutos vai te cobrar no mínimo uns 50 reais, sendo que um professor ganha 9 reais e pouquinho hora aula claro que não estou desmerecendo a profissão de um eletricista que é uma profissão de risco e que todos nos precisamos desses serviços.
    Marcelo eu tenho uma visão um pouco pessimista, acho que esse modelo de educação enquanto continuar assim não chegaremos a lugar algum, penso no efeito ação x reação um fato conduz o outro, se você for ver esse modelo retrogrado em que alunos de escola pública, salvo alguns, são obrigados a pagar uma faculdade particular, e alunos que estudaram a vida toda em escolas particulares, fazem faculdade Pública, isso é totalmente injusto.O próprio sistema termina por desmotivar o aluno, o professor pesquisas apontam que ricos gastam mais de 20% a mais com a criação dos filhos, enquanto uma família de condições menores não conseguem ao menos pagar o uniforme do aluno, ai você me fala um pai de aluno pobre assalariado, entre comprar o uniforme do filho e comprar um livro qual será a escolha?, tá vendo educação vai ficar em segundo lugar, não porque ele quer mas porquê ele se torna refém de um jogo que vem de cima para baixo, você vai ao médico contesta o resultado, ele virá pra ti e diz:
    Eu sou formado pela Faculdade de Medicina da USP, quer dizer tem uma grande referencia. O modelo educacional dos EUA, me parece o mais justo escola pública boa para todos, durante a formação o aluno se quiser entrar numa boa faculdade tem que estudar tirar nota e durante o colegial, quer uma faculdade agora é problema seu.

    ALUNOS DESINTERESSADOS ou ENSINO DESINTERESSANTE?
    Ambos pois caminham juntos, ou pelo menos deveriam caminhar.

    ResponderExcluir
  16. O desinteresse dos alunos não é um assunto novo.Pois ao nosso olhar (estudante), se torna desinteressante uma forma de ensino que não atende às nossas expectativas. Sejam elas,aulas cansativas e pouco dinâmicas.
    Os professores devem inovar, usar e abusar de sua criatividade, motivando e criando um ambiente capaz de despertar o desejo para o aprendizado!!!

    ResponderExcluir
  17. Na minha opinião são ALUNOS DESINTERESSADOS, pois como vemos hoje esta mais fácil para estudar como antes, tantas apostilas de boa qualidade, lousas digitaispara aulas dinámicas, e etc, o que elles mais querem se tudo que vem sendo feito e investido na educação é para que além do aluno aprender a aula não sed torne um tédio, vejo que hoje adolecentes e jovens precisam ter mais responsabilidade e abrir a mente vendo que o mercado de trabalho anda muito exigente e é o futuro dele profissional que está em jogo !

    ResponderExcluir
  18. Guilherme Rodrigues16 de agosto de 2011 23:50

    A culpa pode ser divida entre aluno e escola.
    Em algumas cidades e regiões do Brasil, as escolas não tem condições de ensino adequada para os moldes de ensino satisfatório. São lugares onde as verbas destinadas a educação,merenda, transporte escolar, não são aplicadas (roubadas) e consequentemente a escola não tem as minimas condições de passar a educação a uma criança ou jovem brasileiro. Essa é uma vertente de um Brasil, que infelizmente possui uma educação de 3ª categoria nas regiões mais pobres.

    Tem o lado do falta de interesse do aluno também, que culturalmente não tem o gosto e o prazer de estudar. Fator que gerá grandes problemas a longo prazo em sua vida e posteriormente a sua familia.

    E tem um terceiro lado que é quando a escola tem recursos e infelizmente não sabe adequar esses recursos para melhorar a condição de ensino: trabalhando de uma maneira antiga e ultrapassada. È como ter uma piscina e não saber nadar, ter um carro do ano, super moderno, e não saber pilotar.

    Muitos aluno se cansam de alguns metodos de ensino (em caso de faculdades,cursos,cursos tecnicos)pois eles também tem suas exigencias. Aluno deixa de ser alienado quando sai do colegial e procura um curso superior, afinal ele sabe os moldes de estudo adequados, os professores capacitados e os que apenas dão o famoso "migué" para ganhar o seu dinheirinho no final do mês.

    Copiar matérias exaustivamente da lousa é um desse motivos, chego a uma conclusão : SE COPIA ENSINASSE ALGO, SE COPIAR FOSSE ALGO QUE TE ACRESCENTASSE CONTEUDO, A MAQUINA DE XEROX ERA MAIS INTELIGENTE E EFICAZ QUE UM COMPUTADOR.

    Aluno procura aula com tecnologia, dialogo,espaço para opinar e um aprendizado com aulas práticas. Essa é a necessidade dessa geração, que olha ao seu redor tudo se modernizando e precisa disso para se motivar diante de seus estudos também.

    Creio que a evasão é algo com muitas probabilidades de culpas, seja do aluno, governo, instituição de ensino.

    Restar ter a conscientização de todos esses "culpados" para chegarmos a um denominador comum. Afinal um aluno sem estudo, ou que tem esse estudo de forma ineficiente, será mais um cidadão brasileiro, sem ideologia, sem opinião,sem capacidade de saber votar e escolher o que é melhor para seus país.

    O aluno pode "enganar" a escola, que por sua vez também pode pode "enganar" o aluno perfeitamente. O problema gerado por isso é quando o aluno chega no mercado de trabalho, ali não existe espaço e nem "migués" para enganar.

    ResponderExcluir
  19. Booom, Realmente há Alunos desenteressados, mais existe um ensino desenteressante, claro que ha casos e casos... Mais, no meu ponto de vista, a maioria são os ALunos que não estão afim mesmo.

    ResponderExcluir
  20. Olá Marcelo!
    Seu blog traz um tema muito pertinente. O desinteresse dos alunos fica nítido, isso se deve em sua maioria a facilidade de acesso à informação o que vem criando uma visão distorcida que a escola não é mais a facilitadora do conhecimento técnico que ele supõe conquistar em ambientes com uma maior zona de conforto e sem regras (lan-houses, quarto, através do celular em uma praça, ou seja, em qualquer lugar). O ideal seria a mudança de estratégias por parte das unidades escolares, criando ambientes mais agradáveis e com menor imposição de regras, flexibilidade de horários (intranets) video-aulas com os mesmos professores que eles veêm na escola (proximidade Real/Virtual). Games e oficinas educativas entre outras.

    ResponderExcluir

COMPARTILHE SEU PONTO DE VISTA!